21 mil caçadores de subsistência precisam renovar os registros de suas armas no Acre

O índice estatístico da policia federal aponta que a delegacia de armas da superintendência regional do acre, está no topo, em análise de processo de armas no Brasil, esse trabalho segundo o delegado titular é fruto do empenho da equipe que tem trabalhado intensamente para agilizar a documentação, principalmente dos caçadores de subsistência, que usam as armas para abater caças e alimentar suas respectivas famílias. Os caçadores artesanais, não precisam pagar pelo serviço.

O porte ilegal de arma pode gerar pena de dois a quatro anos de prisão, mas isso dependente do calibre da arma.

Para evitar transtornos que o delegado Luiz Carlos, está convocando mais de 21 mil caçadores de subsistência do estado, que estão com os registros das armas vencidos, a se regularizarem, sob pena de sofrerem sanções previstas em lei no futuro

A policia federal vem trabalhando na divulgação desse tema exatamente por atingir pessoas que estão vulneráveis a essa situação. Existe uma preocupação permanente com esse público, já que muitos, não tem a noção exata do risco que correm por não renovar o registro.

A legalização das armas podem ser feitas nas delegacias da Policia Federal de Rio Branco, Epitaciolândia e Cruzeiro do Sul.