Audiência na Câmara dos Deputados vai debater queimadas no Acre

Os recordes de queimadas registrados no Acre, neste ano, serão tema de audiência pública realizada nesta quarta-feira, 13, na Câmara Federal. O debate será transmitido, ao vivo, por meio do site da Câmara, a partir das 13h no horário local.

A audiência foi uma proposta do deputado Leo de Brito (PT) que solicitou explicações aos órgãos de fiscalização ambiental. Em documento protocolado na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC), o deputado federal acreano destacou que dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) apontaram que o Acre registrou 2.140 focos de incêndios até 17 de agosto desse ano e teve aumento de 137% nos incêndios ambientais nas áreas urbanas, número maior do que todo o acumulado do ano passado.

O Acre tem liderado o ranking com maior número de focos de queimadas no país e no Estado, os municípios com mais focos de queimadas são Feijó e Tarauacá, de acordo com dados do Inpe.

“Vivemos um período crítico. Tenho andado pelos municípios e constatei o avanço das queimadas nos últimos meses e a falta de uma política de controle ambiental, atrelada ao enfraquecimento dos órgãos de fiscalização e dos mecanismos de controle. Isso tudo tem impactado diretamente nesse aumento. Além dos danos ao meio ambiente, a preocupação é também com a saúde pública, os casos de internações e mortes por síndromes respiratórias têm aumentado consideravelmente, e ainda estamos em meio à pandemia da covid, agravando mais ainda essa situação”, afirma Leo de Brito.

Confirmaram presença na audiência o professor, pesquisador e coordenador do Grupo de Estudos e Serviços Ambientais da Universidade Federal do Acre (UFAC) Alejandro Antonio Fonseca Duarte e o secretário de Meio Ambiente e das Políticas Indígenas do Acre (SEMAPI), Geraldo Israel Milani de Nogueira.
Também foram convidados a participar dos debates representantes do Ministério do Meio Ambiente, do Ministério Público Federal (MPF), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (IMAZON), Ministério Público do Estado do Acre (MPEAC), Instituto de Meio Ambiente no Acre (IMAC), da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC) e da Coordenação Operacional do Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC).