Devolução do dinheiro dos ingressos de show cancelado do MC Poze no AC deve iniciar no dia 30

Os produtores do show do MC Pode, que ocorreria na noite do dia 15 em Rio Branco, estão organizando o plano de devolução do dinheiro dos mais de 2 mil ingressos vendidos para o evento. O show foi cancelado pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp), que cassou a licença de segurança do espaço Maison Borges que autorizava o show alegando ‘para manter a ordem pública’.

A organização chegou a recorrer à Justiça para que o show fosse mantido, já que o cantor já estava no estado, mas o cancelamento do show foi mantido pela desembargadora Denise Bonfim. Segundo ela, a Sejusp tem competência para suspender o evento, caso verifique algum risco à ordem pública.

O advogado Weverton Matias, representante do evento, explicou que a produção teve um prejuízo de quase R$ 300 mil e agora se organiza para devolver o dinheiro para quem comprou os ingressos da atração. Essa devolução deve começar no dia 30 deste mês.

“A partir do dia 30 vai começar a devolução do dinheiro dos ingressos. Foram mais de 2 mil ingressos e agora estamos montando um protocolo de devolução para começar esse procedimento que não é simples. Muitos foram comprados no cartão, outros em plataforma on-line, então a partir do dia 30 vamos começar a devolução dos valores”, diz.

O secretário de Justiça e Segurança do Acre, coronel Paulo Cézar, informou que há informações “reservadas que subsidiaram a tomada da decisão de cassação da licença de segurança”.

Amenizar prejuízos

O prejuízo de R$ 300 mil foi por conta da estrutura, pessoal contratado, cache, bebidas e ainda a perda de lucros com aluguel, já que o espaço poderia ter sido alugado para outro evento.

Matias disse ainda que a produtora deve entrar com uma ação contra o Estado, já que, no entendimento da organização, o cancelamento causou prejuízo por ocorrer no mesmo dia que o show aconteceria.

Show cancelado

Na segunda, a Sejusp divulgou que cancelou o show do MC Poze do Rodo, marcado para ocorrer no espaço de eventos Maison Borges, em Rio Branco, e cassou a licença de segurança cedida ao estabelecimento para ‘preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio’.

Em nota, a Sejusp afirmou que o cancelamento é em razão de casos de violência registrados em alguns shows do artista pelo país.