Exposição envolvendo poesia e imagem se inicia nesta sexta-feira

E se fosse possível unir poesia e fotografia em um só mundo? O visual e o lírico são duas formas de arte bastante distintas, mas na exibição “Poesias Femininas Interpretadas” esses universos convergem em uma experiência cultural diversa.

A ideia é convidativa aos amantes das artes. Idealizada pela fotógrafa Nattércia Damasceno, a mostra se estende de 16 a 23 de julho no hall da Usina de Arte João Donato, em Rio Branco.

Junto aos coloridos tecidos acrobáticos, as fotografias personificam poemas que falam sobre a luta da mulher na sociedade contemporânea. “Neste momento de pandemia, a gente viu que, mais do que nunca, a arte é necessária. O projeto é de arte e de luta, porque fala do cotidiano da mulher e sua relação com a sociedade; todas as poesias escolhidas falam sobre resistência”, revela a fotógrafa.

A diversidade das escritoras dentro do projeto foi o critério principal. Foram convidados nomes conhecidos na capital, como Nilda Dantas, Francis Mary (a “Bruxinha”), Rayssa Castelo Branco e poetisas do grupo Slam das Minas, um movimento de poesia autoral que envolve apenas mulheres.

Todos os poemas falam sobre a luta e a resistência da mulher. Foto: Nattércia Damasceno

O público que passear pela exibição pode adquirir as obras impressas das escritoras. A mostra também será disponibilizada de forma virtual  e em um website a ser lançado no dia 16.

O espaço aberto, arborizado e a proximidade sentimental de Nattércia com a Usina de Arte, espaço administrado pela Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), tornaram a localização ideal para a exposição. A ideia do projeto veio de um workshop ministrado na própria Usina, em que foi explorado o conceito de poesias interpretadas. “Eu queria muito me dedicar a um projeto mais pessoal. Lembrei desse workshop e quis trabalhar a questão do feminismo, que é um assunto que conversa muito comigo”, relata.