Fundhacre promove ação educativa com os pacientes do Programa de Obesidade

A obesidade pode provocar uma série de doenças no ser humano. Com isso, a cirurgia bariátrica surge como uma possível solução para o tratamento dessa condição que atinge mais de 20 mil acreanos. Assim, na manhã desta quarta-feira, 5, a Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), em Rio Branco, promoveu uma ação educativa com os pacientes do Programa de Obesidade.

O grupo que esteve presente é formado por 12 pessoas, um número menor se comparado às outras ações como essa. Isso ocorre devido a manutenção dos protocolos para assegurar a saúde dos pacientes durante o período da pandemia de covid-19.

Há muitos benefícios motivadores à cirurgia bariátrica, o maior é a redução de doenças associadas à obesidade, como diabetes e hipertensão. Além disso, há uma melhoria geral na qualidade de vida. Assim, o preparo pré-operatório do paciente para a cirurgia é fundamental, pois reduz as chances de possíveis complicações e aumenta o sucesso do procedimento.

O objetivo da ação educativa foi explicar o processo da cirurgia bariátrica e sanar as dúvidas dos pacientes quanto ao procedimento cirúrgico. O cirurgião Romeu Delilo Junior é coordenador geral do Programa de Obesidade e relatou os inúmeros benefícios da cirurgia bariátrica por videolaparoscopia, que é minimamente invasiva e proporciona mais segurança ao paciente. “É uma cirurgia que favorece ao paciente, com uma redução dos sintomas do pós-operatório. Além disso, há uma diminuição nos riscos de infecção de ferida operatória”, explicou o cirurgião do aparelho digestivo, Romeu Delilo.

O Programa de Obesidade é um serviço consolidado no estado, sendo um dos mais completos da Região Norte. A equipe multidisciplinar contempla mais de seis especialidades, incluindo endocrinologia, fisioterapia, psicologia e nutrição. “A Fundhacre trabalha para realizar benfeitorias para os pacientes, sobretudo para os que estão inclusos no Programa de Obesidade. A Saúde acreana tem melhorado a rede de cuidados em todas as especialidades médicas”, disse o presidente da Fundhacre, João Paulo Silva.

O Ministério da Saúde, por meio do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil, anos 2011-2022, decidiu priorizar a execução dos investimentos necessários para o enfrentamento da obesidade. Por isso, a Portaria n°482, de 2017, incluiu o procedimento de cirurgia bariátrica por videolaparoscopia no Sistema Único de Saúde (SUS).