Indígena é condenado por matar esposa na frente da filha de 2 anos no interior do Acre

O indígena Adriano Kaxinawá foi condenado a 36 anos pela morte da mulher Vanderlângia Pereira, também indígena, na frente da filha de dois anos do casal. O crime ocorreu em janeiro de 2018 no Centro da cidade de Feijó, no interior do Acre.


Vanderlângia foi morta com um golpe de facão na altura da clavícula. Após dar a facada na mulher, o indígena fugiu por uma região de mata e uma ação conjunta entre as polícias Militar e Civil conseguiu capturá-lo dois dias depois do crime.


Ele foi condenado pelo crime de homicídio, com a qualificadora de feminicídio. A decisão da juíza Ana Paula Saboya foi divulgada pelo Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) na terça-feira (14).
A sentença ainda cabe recurso.

Conforme a denúncia do Ministério Público do Acre (MP-AC), o réu cometeu o crime no porto da cidade, onde a vítima estava com a filha de colo e a irmã, aguardando a chegada dos avós da criança, que se aproximavam em uma embarcação.


O TJ-AC informou que na denúncia, consta que o indígena tinha pedido que a mulher entregasse a filha do casal, de um ano e oito meses. Como não foi atendido, se retirou e depois voltou com uma faca e desferiu os golpes contra Vanderlângia, mesmo com a filha no colo. Os golpes atingiram o pescoço, tórax e órgãos vitais da vítima.