Missa e homenagens marcam Dia de Finados nos cemitérios de Rio Branco

O movimento começou bem cedo, nesta terça-feira (2), Dia de Finados, nos cemitérios de Rio Branco. As pessoas homenagearam seus entes queridos, fizeram orações e tiveram momentos de reflexão.

Este ano, com o avanço da vacinação e a melhoria dos números de Covid-19, a tradicional missa no Cemitério São João Batista começou por volta das 8h e reuniu dezenas de fiéis.

Em 2020, a celebração chegou a ser cancelada por conta dos altos números de contaminação e mortes pela doença. Na época, a recomendação da gestão era de que as pessoas antecipassem a visita aos entes queridos sepultados nos locais e não deixassem para ir somente no dia 2 de novembro.

Expectativa

A expectativa, segundo a Secretaria Municipal de Zeladoria, é que cerca de 80 mil pessoas passem pelos quatro cemitérios públicos da cidade na data em que vão estar abertos das 7h às 17h.

Com a expectativa de um público maior, a Rua Rio de Janeiro, em frente ao Cemitério São João Batista, vai ficar fechada e os ambulantes que costumam ficar no local foram orientados a deixar espaço para estacionamento.

Jean Almeida, diretor da Zeladoria, disse que as equipes vão atuar para garantir o fluxo nos cemitérios e pede que as pessoas usem máscaras e sigam os protocolos de prevenção à Covid-19.

“O vírus não acabou ele continua circulando. Nós não vamos permitir pessoas sem máscaras. Nas entradas vai ter uma barreira sanitária, onde as pessoas vão estar com álcool”, explicou.

Diferente do ano passado, a tradicional missa está marcada para começar às 8h no Cemitério São João Batista.

Frota de ônibus

A Prefeitura de Rio Branco organizou a frota para atender pelo menos 30 mil pessoas  neste feriado de Finados na capital acreana.

Ao todo, são 49 carros rodando na cidade nesta terça-feira (2) e mais quatro de reserva para atender qualquer problema com os que estão nas ruas.

O plano de operação do transporte público divulgado pela Superintendência de Transportes e Trânsito (RBTRans) coloca ainda que, caso haja demanda superior à oferta de transporte, as empresas devem providenciar a imediata entrada de carros em operação e avisar ao órgão.