Motorista de aplicativo é achado após ser liberado de cativeiro em Rio Branco

O motorista de aplicativo Macicley Ferreira, de 23 anos, foi encontrado na madrugada desta quinta-feira (21) após ficar dois dias desaparecido em Rio Branco. Segundo a mãe dele, a professora Marlene da Silva, o rapaz foi deixado amarrado pelos criminosos em um ramal na região do bairro do Amapá.

Marlene disse que foi a polícia que encontrou Ferreira no local. Ele contou à família que foi mantido refém em uma casa de madeira e estava com os olhos vendados e braços amarrados. O rapaz chegou a ser agredido e ameaçado de morte durante os dias que ficou em cativeiro.

Após ser localizado, o motorista foi levado para a sede da Delegacia de Flagrantes (Defla), em Rio Branco, e nesta quinta deve novamente ser ouvido.

Motoristas usam cartazes e fazem ato em ponte no Centro de Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

Após se mobilizarem e se dividirem em três equipes para fazer buscas, motoristas de aplicativo chegaram a fechar a Ponte Juscelino Kubitschek, no Centro da capital acreana, na noite dessa terça (20), em protesto contra o desaparecimento do colega de trabalho.

“Ele disse que estava em uma casa, com um pano na cabeça e ficou todos esses dias. Eles ficaram com o carro e só deixaram ele com a roupa do corpo mesmo. Está com alguns arranhões e roxos pelo corpo. Ele disse que eles perguntavam se ele era de facção e ele dizia que não e eles falavam que ele iria morrer. Acredito que tenham libertado ele depois do manifesto. Agora estou mais tranquila”, disse a mãe.

A família do rapaz também chegou a fazer buscas por conta própria nos locais onde ele teria passado. A última localização dele estava no bairro Vila Acre, no Segundo Distrito de Rio Branco, na noite de segunda (18).

Macicley Ferreira está sumido deste a noite de segunda (18) em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal