Motoristas de aplicativo fecham ponte no Centro de Rio Branco em protesto por desaparecimento de colega

Motoristas de aplicativo fecharam a Ponte Juscelino Kubitschek, no Centro da capital acreana, em protesto contra o desaparecimento do colega de trabalho Macicley Ferreira, de 23 anos. O rapaz está sumido desde a noite de segunda (18) e a última localização dele foi registrada no bairro Vila Acre, no Segundo Distrito de Rio Branco.

Desde então, o celular do motorista está desligado e ele não dá notícias para a família.

Segundo a motorista Diva Gadelha, a manifestação, que conta com mais de 60 motoristas, é para pedir que a polícia dê celeridade nas buscas.

“Estamos com cartazes, queremos que eles [polícia] agilizem as buscas, já são 48 horas sem notícias e nada. Nós, junto com a família dele, já rodamos onde estava a última a localização dele e não encontramos nada, queremos uma resposta e que a polícia reforce as buscas”, disse.

Um boletim de ocorrência foi registrado pela família na Delegacia de Flagrantes de Rio Branco (Defla).

Motoristas pedem celeridade nas buscas pelo colega de trabalho que está desaparecido há mais de 48 horas — Foto: Arquivo pessoal

Diva falou que a categoria se mobilizou e se reuniu em três equipes, mas não encontrou nada. Eles fizeram rondas nos ramais Galiléia, Bom Jesus e Garapeira, em Rio Branco.

Preocupada, a mãe de Ferreira, a professora Marlene da Silva, disse que estão fazendo buscas por conta própria nos locais onde ele teria passado, mas até agora não tiveram nenhuma notícia.

“Ele nunca ficou sem dar notícias para a gente assim e ele tem uma filha de dois anos. Eu acredito que ele foi pego, jogaram ele em algum lugar e pegaram o carro para vender, não sei, já são quase 48 horas. Meu pensamento é esse. O coração está apertado e estou orando a Deus que ele esteja vivo”, disse a mãe.

Macicley Ferreira está sumido deste a noite de segunda (18) em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal