Rio Branco para de exigir termo de autorização para vacinação de crianças contra Covid-19

A Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco retirou a exigência de apresentação do termo de autorização para vacinação das crianças de 5 a 11 anos. A medida foi publicada nessa quinta-feira (20) em nota técnica do Departamento de Vigilância Epidemiológica.
Até então, para crianças receberem a vacina, os pais ou responsáveis legais tinham que assinar um termo de assentimento quanto às informações das condições clínicas da criança e das possíveis reações da vacina, como por exemplo: inchaço, vermelhidão no local da injeção, febre, fadiga, dor de cabeça e outros.
Agora para esse público ser imunizado basta estar acompanhado do pai, mãe ou responsável legal.


“Nós fizemos esse termo mais para nosso pessoal passar informação para a população sobre as orientações. Isso porque as pessoas reclamavam que não era repassada nenhuma informação nesse sentido. É muita coisa na unidade e os profissionais acabam não conseguindo dar realmente todas as informações. Mas, como realmente não é preciso ter essa autorização assinada, nós decidimos retirar”, afirmou Socorro Martins, coordenadora da Vigilância.

A vacinação pediátrica iniciou no Acre na última segunda-feira (17) com doses da Pfizer pediátrica. E, segundo dados do Departamento de Vigilância Epidemiológica de Rio Branco, até essa quinta (20), somente 793 crianças foram imunizadas na capital.

Em todo o Acre, a meta é imunizar 120 mil crianças de 5 a 11 anos, sendo que em Rio Branco são, pelo menos, 49 mil. Após problemas no sistema, o painel da vacinação do estado segue sem atualização desde de 9 de dezembro, por isso, não é possível saber quantas crianças foram vacinadas em todo o estado.


O estado do Acre recebeu 14,4 mil doses de vacinas pediátricas Pfizer, que chegaram em dois lotes.


A vacinação ocorre de forma regressiva. Atualmente, estão sendo imunizadas as crianças de 10 anos e aquelas que têm comorbidades entre 5 e 11 anos.