Saúde define projeto de prevenção e diagnóstico de infecções sexualmente transmissíveis

Agência de Notícias

Técnicos da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde (MS), estão no Acre para que, junto com a equipe do Núcleo Técnico Estadual de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), possam trabalhar na elaboração de projeto voltado para prevenção combinada e diagnóstico de HIV/aids, hepatites virais e outras ISTs, com foco sobretudo nas áreas de fronteira.

O sistema de Saúde no estado, além dos acreanos, também atende pessoas de países e estados fronteiriços, como Peru, Bolívia, Amazonas e Rondônia, o que faz com que o trabalho das equipes que atuam nas unidades se torne um tanto mais complexo em razão da falta de informações e histórico desses pacientes.

Diante disso, os técnicos da Opas pretendem elaborar e implantar, em parceria com a Sesacre, um projeto com ênfase em ações estratégicas, com base na prevenção e diagnóstico não apenas nos municípios de fronteira, mas em todo o estado.

“Para esse período [de visita dos técnicos] foram programadas atividades e ações para conhecer a realidade local da oferta de parte dos serviços do Estado, além de elaborar e definir o início da implantação do projeto, com ênfase nas ações estratégicas e com base em prevenção combinada e diagnóstico para HIV/aids e hepatites virais”, explicou a coordenadora do Núcleo de Estadual de ISTs, Suilany Maia.